Atenção: Simões Filho confirma caso de raiva em morcego e alerta sobre cuidados

Atenção: Simões Filho confirma caso de raiva em morcego e alerta sobre cuidados

- EmDestaques
Share Button
A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenação de Vigilância e  Proteção à Saúde, emitiu um alerta após confirmação de um caso de raiva em um morcego. A notificação aconteceu após uma moradora do Loteamento Luís Eduardo Magalhães ser mordida por um morcego, no último domingo (23), e o animal testar positivo para a doença. A vítima foi atendida na rede pública de saúde municipal, recebeu todo suporte da Vigilância e Proteção à Saúde, suporte médico, recebeu as medidas de profilaxia, e passa bem.
Com a confirmação do caso, a Secretaria de Saúde alerta sobre os cuidados que precisam ser tomados:
- É muito importante que cães e gatos domiciliados estejam vacinados contra a raiva;
- Se encontrar um morcego, não toque no animal e nem deixe que outras pessoas ou animais se aproximem;
- Isole o morcego em um recipiente para evitar fugas: utilize baldes ou caixas;
- Em casos de necessidade, entre em contato com a Vigilância e Controle de Zoonoses municipal pelo telefone: (71) 98951-7587 ou através do email: gerenciazoonosessf@gmail.
Nesse sentido, é importante destacar que o município segue promovendo a vacinação de cães e gatos, e que as atividades acontecem semanalmente, bairro a bairro, visando o conforto, bem-estar e a segurança da população. O cronograma de atividades é amplamente divulgado e pode ser conferido no site (prefeituradesimoesfilho.ba.gov.be) e nas redes sociais oficiais (@prefeituradeSimoesFilho).
A raiva é uma doença transmissível que pode atingir a todos os mamíferos, como: cães, gatos, bois, cavalos, morcegos e o homem. Ela é transmitida para o homem ou outros animais, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele lesionada ou mucosa, por meio de mordida, arranhão ou lambedura.
O morcego é um reservatório natural da raiva. Por isso, o contato de morcegos com animais de estimação ou humanos sempre é considerado um acidente grave. Para proteger o animal doméstico da raiva, o tutor do pet deve vacinar cães e gatos contra a raiva anualmente.
As autoridades em saúde orientam que, em caso de possível exposição ao vírus da raiva e/ou contato com o animal, deve-se lavar imediatamente o local com água e sabão e procurar uma Unidade de Saúde para atendimento.
A vigilância segue acompanhando o caso de perto.

Facebook comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *