Sem cebola e gás, baianas de acarajé recolhem tabuleiros na Bahia

Sem cebola e gás, baianas de acarajé recolhem tabuleiros na Bahia

- EmBahia
481
0

Cebola está em falta no mercado e chega a ser vendida por R$ 150 a saca

A redução da oferta de ingredientes e de gás de cozinha devido à paralisação dos caminhoneiros fez com que muitas baianas de acarajé deixassem de montar seus tabuleiros nas ruas de Salvador.

A cebola está em falta no mercado e chega a ser vendida por R$ 150 a saca. O ingrediente é fundamental para fazer o bolinho: para cada cinco quilos de massa de acarajé vai um quilo de cebola.

“Sem cebola não tem acarajé. E com o preço alto, muitas baianas não estão indo trabalhar”, afirma Rita Santos, presidente da Abam, associação que representa as quituteiras.

O tomate, usado na vinagrete que acompanha o bolinho, também está escasso e é vendido por até a R$ 100 a caixa. A falta de gás de conha também é um problema enfrentado pelas baianas, que chegam a usar dez botijões em um mês. Com informações da Folhapress.

Share Button

Facebook comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *