População aprova nova gestão do Hospital Municipal de Simões Filho: “mudou tudo”

População aprova nova gestão do Hospital Municipal de Simões Filho: “mudou tudo”

- EmDestaques
Share Button

Desde o ano passado, o município iniciou o processo de contratação de uma nova empresa para assumir a direção do Hospital Municipal de Simões Filho (HMSF). Isso porque a antiga gestora do hospital, a Associação de Proteção à Maternidade e a Infância de Castro Alves (APMI), que antes administrava a unidade de saúde, deixava a desejar, segundo a população, com atraso de salários dos funcionários, falta de medicamentos, dificuldades no atendimento, entre outras situações.

A nova gestão do Hospital Municipal de Simões Filho, conduzida atualmente pela Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed), que passou a assumir a administração da unidade ainda no final de dezembro de 2019, chegou chegando e já trabalha para melhorar a qualidade do atendimento à população, com o reabastecimento de estoque de medicamentos e insumos, a melhoria das condições das instalações, além de possuir profissionais de saúde capacitados e habilitados disponíveis em prestar um atendimento de qualidade aos pacientes que frequentam o hospital.

Tal mudança de gestão, em tão pouco tempo, tem transformado a realidade do hospital e dado resultado positivo na vida da população de Simões Filho que procura diariamente o HMSF. É o que revela alguns depoimentos de pessoas, a exemplo da moradora Juciene, que entrou no hospital a procura de atendimento pediátrico para o filho. Ao passar pela unidade, ela contou que o seu filho recebeu atendimento desejado. “Fui bem atendida, meu filho foi atendido. Mudou tudo, graças a Deus. Parabenizo ao prefeito Dinha”, expressou. “Mudou tudo, agora não é mais como era antes, era bagunça e agonia, e agora, mudou tudo”, completou a moradora.

Os serviços essenciais oferecidos pelo HMSF sob nova gestão têm agradado a população atendida na unidade onde a atual empresa tem implantado diariamente melhorias a frente da nova administração hospitalar, a exemplo da reorganização no fluxo dos atendimentos, o reabastecimento de insumos, materiais e medicamentos e a manutenção da infraestrutura do Hospital para garantir um melhor atendimento de qualidade que os pacientes merecem.

Outra novidade anunciada é que os pacientes graves atendidos no Hospital Municipal de Simões Filho passam a contar com uma infraestrutura moderna e diferenciada na sala vermelha. O investimento da Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed) faz parte do compromisso de realizar um acolhimento humanizado, ampliar a resolutividade e aperfeiçoar continuamente os processos de gestão e atendimento.

Além da reforma completa da sala vermelha, foram adquiridos novos leitos, respiradores, monitores e carrinho de emergência. Outro espaço que foi revitalizado é a sala de medicação, que agora conta com nove poltronas.

A segurança e o conforto também estão entre as prioridades da nova direção do HMSF. Além de qualificar a acolhida e o bem-estar dos colaboradores e usuários para que as pessoas tenham instalações confortáveis e seguras a fim de proporcionar facilidade de acesso rápido à informação com orientadores e recepcionistas à disposição na preocupação em fornecer à população um serviço de saúde de ótima qualidade, o hospital implantou um novo controle de acesso eficiente de entrada e saída de veículos e pessoas, com vigilância de equipe especializada nas dependências por meio de cancela, visando dar maior segurança e tranquilidade na rotina de médicos, enfermeiros, equipe administrativa, pacientes e acompanhantes com o objetivo de minimizar situações constrangedoras no ambiente hospitalar, além de visar o bem-estar de todos na unidade de saúde.

O superintendente da Fabamed, José Saturnino Rodrigues, afirma que o Hospital Municipal de Simões Filho passa por mudanças significativas desde o início da nova gestão neste período de transição e adequação e explica que a prioridade é a manutenção do estoque de medicamentos e materiais de higienização, pois acredita que o Hospital tem potencial e que trará muitas outras melhoras positivas, além das que já se encontram em prática. “Adquirimos um novo carregamento a fim de assegurar a continuidade do tratamento dos pacientes internados“, destacou.

Após a Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed) assumir a gestão do Hospital Municipal de Simões Filho na madrugada do dia 31 de dezembro de 2019, novas remessas de insumos e medicamentos chegaram a unidade para ampliar o estoque existente, bem como os primeiros fardamentos dos funcionários.

Ao acompanhar o 1º dia do início dos trabalhos da Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed), empresa que começou a administrar o Hospital Municipal de Simões Filho, no dia 31 de dezembro de 2019, o prefeito Dinha, voltou a visitar a maior Unidade de Saúde da cidade na manhã do dia 3 de janeiro (sexta-feira), onde conferiu o bom funcionamento do hospital, que é referência para o município de 150 mil habitantes.

Na oportunidade, o gestor municipal, acompanhado da atual secretária de Saúde, Iridan Brasileiro, da ex-titular da pasta, Poliana Venas, e do superintendente da Fabamed, José Saturnino Rodrigues, verificou o estoque de medicamentos e insumos, percorreu as alas, leitos e diversas instalações onde conversou com profissionais e pacientes em atendimentos, acompanhantes de crianças, funcionários, médicos e a nova equipe de direção da Unidade de Saúde. Além disso, as equipes da nova administração foram apresentadas devidamente fardadas e identificadas.

As visitas do prefeito ao Hospital Municipal foram marcadas especialmente pela manutenção do contato com os pacientes, no sentido de sempre dialogar, conhecer de perto as demandas e trabalhar para oferecer cada vez mais um serviço melhor.

Nos corredores da Unidade Hospitalar, o prefeito Dinha teve a oportunidade de conversar com vários usuários sobre a qualidade dos serviços que estavam recebendo.

“Tenho visto de perto o trabalho que vem sendo realizado na saúde e nossa Unidade também recebe pacientes de cidades vizinhas, e isso mostra um diferencial que temos de positivo, mas, a nossa principal meta é oferecer a qualquer cidadão um atendimento de excelência e estamos trabalhando para isso, de cada vez mais, oferecer um bom atendimento e dar uma melhor qualidade de vida às pessoas”, pontua.

O prefeito e a atual secretária de Saúde, Iridan Brasileiro, prezam pela qualidade do atendimento cada vez mais humanizado à população e as famílias. A expectativa da nova gestão é que em até 60 dias sejam concluídas as ações de humanização no atendimento, reavaliação de contratos e dimensionamento de pessoal, levantamento do inventário, bem como fortalecimento do ensino e pesquisa.

Com 73 leitos, o HMSF realiza atendimentos de urgência e emergência, bem como possui leitos de estabilização e especializados em pediatria, clínica médica, obstetrícia e ortopedia.

Solução para o descaso na saúde

A empresa APMI administrou a unidade hospitalar desde 2014, a partir da gestão do ex-prefeito Eduardo Alencar, mas perdeu o contrato durante a licitação realizada em 2019.

No novo processo de licitação realizado no ano passado, a terceirizada perdeu o contrato e a nova empresa Fabamed assumiu a direção do hospital ainda em dezembro de 2019. O momento era extremamente delicado e refletia uma grave crise no sistema hospitalar e a nova empresa priorizou ações urgentes como a reorganização do corpo clínico e dos serviços.

Campeã em números de reclamações por atrasos de salários de funcionários, um dos principais motivos da saída da APMI, além da licitação, se deve aos diversos problemas no histórico de descaso com os trabalhadores e a baixa qualidade dos serviços prestados na saúde por parte da terceirizada considerada na cidade como uma das “piores prestadoras de serviços administrativos” que já pisou em solo simõesfilhense.

Fundado em 1996, o Hospital Municipal de Simões Filho foi administrado pela Prefeitura até 2014, quando o ex-prefeito do município e atualmente deputado estadual Eduardo Alencar (PSD) resolveu terceirizar o serviço, visando à melhoria do atendimento.

A administração do HMSF realizada pela APMI não foi suficiente para solucionar os problemas da unidade que funciona 24 horas possuindo: emergência pediátrica, emergência adulto, ortopedia e cirurgia; centro cirúrgico e obstétrico; duas enfermarias, sendo uma de clínica médica geral e outra da maternidade e cerca de 59 leitos de internação.

Alvo de diversas reclamações por parte da população, a APMI, que foi extinta da cidade, recebeu duras críticas do atual prefeito Diógenes Tolentino que decidiu colocar um ponto final no descaso deixado pela terceirizada. Sem direção, a empresa já mudou em 4 anos 4 diretores demonstrando assim total falta de controle administrativo.

Em entrevista no ano passado após total insatisfação, o prefeito revelou sua insatisfação e disse que estava acompanhando de perto o trabalho desenvolvido pela APMI e tinha cobrado a melhoria na prestação do serviço desenvolvido pela terceirizada e, caso não houvesse avanços, tomaria a decisão de romper o contrato, e assim o fez.

Na mesma entrevista, à época, o prefeito disse que em sua gestão sempre pagou em dias os funcionários e fornecedores da Prefeitura, por não aceitar que as empresas terceirizadas atrasem o salário dos trabalhadores e prestem um mal serviço, uma vez que recebem em dias os recursos repassados pela administração municipal.

Para salvaguardar os direitos dos funcionários, o Executivo Municipal esclareceu recentemente as medidas que serão adotadas referentes ao pagamento de salários e rescisões trabalhistas, após encerramento do contrato com a Associação de Proteção a Maternidade e a Infância de Castro Alves (APMI), encerrado no dia 30 de dezembro de 2019, garantindo o compromisso do pedido feito pelo prefeito Dinha Tolentino, no sentido de que seja assegurado aos trabalhadores o repasse das verbas rescisórias.

Uma mediação entre Ministério Público do Trabalho, APMI, Prefeitura e representantes dos funcionários será formalizada para que valores salariais sejam repassados diretamente aos trabalhadores, ou então, que seja garantido o repasse pela empresa.

Nova gestora do HMSF

Em ato realizado no dia 30 de dezembro de 2019, o prefeito Dinha, acompanhado do vice-prefeito Sid Serra, secretários municipais, vereadores da base governista e membros do Conselho de Saúde, assinou o contrato com a nova empresa. O contrato com a Fundação da Associação Bahiana de Medicina (Fabamed) tem duração de 24 meses.

Empresa vencedora do processo licitatório, a Fabamed é uma Organização Social (OS) séria, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, com atividades dirigidas à saúde, com expertise em administração hospitalar, que objetiva o gerenciamento, operacionalização e a execução, tão somente, das ações e serviços de Saúde no Hospital Municipal de Simões Filho.

Fundada em 2002, a Fabamed é instituída pela Fundação da Associação Bahiana de Medicina (ABM) e, desde então, adota as melhores práticas no gerenciamento de pessoas, serviços, hospitais e demais equipamentos de saúde. Esta capacidade gerencial, segundo a empresa, é atestada pela qualidade das unidades administradas tanto na rede estadual, quanto no município de Salvador.

Com a mudança de administração do Hospital Municipal, a Prefeitura de Simões Filho, em parceria com a nova empresa terceirizada, tem conduzido a gestão da unidade de saúde com mais responsabilidade, com a proposta de tornar Simões Filho uma das cidades referência em saúde na Bahia.

 

Confira mais fotos da visita do prefeito Dinha as dependências do HMSF: 

 

Facebook comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *