Adailton Caçambeiro critica dívidas deixadas pelo ex-prefeito e omissão dos vereadores de oposição: “é baseado em quê que eles apoiam o ex-gestor? A não ser financeiramente ou em promessas mentirosas”

Adailton Caçambeiro critica dívidas deixadas pelo ex-prefeito e omissão dos vereadores de oposição: “é baseado em quê que eles apoiam o ex-gestor? A não ser financeiramente ou em promessas mentirosas”

- EmDestaques
Share Button

Durante pronunciamento na tribuna, na 50ª Sessão Ordinária na Câmara naterça-feira, 11, o vereador Adailton Caçambeiro (PSDB) criticou a omissão do ex-prefeito e atualmente deputado estadual Eduardo Alencar (PSD) e dos vereadores de oposição diante das dívidas deixadas no município pelo ex-gestor.

O legado de dívidas deixado pelo ex-prefeito ainda vem sendo alvo de acirradas discussões políticas. Os rombos nas contas da cidade deixados pelo ex-gestor com “cifras volumosas” é repercutido e criticado por diversos edis, entre eles, o vereador Caçambeiro.

O parlamentar aponta que o município estava sob dívidas “incalculáveis” devido a grupos políticos que permaneceram no poder há mais de 20 anos em gestões passadas.

Como exemplo dessa omissão de gestão pública, o vereador constatou, entre muitas dívidas, as dívidas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), por exemplo, em que o valor chegou a R$ 270 milhões. “Eu me lembro que só do INSS foram R$ 270 milhões de dívida”, pontuou.

De acordo com o vereador, essa dívida do INSS, entre outras dívidas, foram deixadas pelo ex-prefeito Eduardo Alencar e herdadas pelo prefeito Dinha para serem administradas pelo atual chefe do Executivo Municipal.

Conforme Caçambeiro, a dívida deixada por Alencar por mal gerenciamento dos recursos públicos foi muito grande, o que o deixa ainda mais preocupado com a situação financeira do município.

“Olha o tamanho da irresponsabilidade do ex-gestor. Olha o que o povo de Simões Filho está recebendo do ex-prefeito da cidade. Simões Filho não suporta isso”, ressaltou o vereador ao afirmar que os reflexos dessa dívida estão sendo sentidos pela população.

Mesmo com o parcelamento de dívidas e a contratação dos empréstimos aprovados pela Câmara, o atual prefeito, segundo Caçambeiro, ainda consegue conter os gastos, manter os contratos de serviços públicos essenciais na cidade, inaugurar obras e pagar dívidas para se livrar do legado negativo deixado pelas antigas gestões.

“Ficamos aqui aprovando projetos de parcelamento de dívidas. Eu disse: ‘meu Deus, essa cidade não vai avançar, só tem dívida, só dívida!’. Hoje, o município paga de parcelamento de dívida quase R$ 1,3 milhão, que não é nosso”, destacou Caçambeiro, que lembrou do empréstimo aprovado pelo Legislativo como um incremento financeiro para o município. “Os R$ 25 milhões, R$ 30 milhões que tomou de empréstimo não significa 20% do que parcelamos, e hoje, o funcionário recebe em dia, não tem demissão em massa, inaugura obras e o município hoje tem respeito com seu nome limpo, e ainda, combate à Covid. Hoje, existem três respiradores adquiridos com recursos próprios da cidade. Não foi o governador que mandou, não. É pouco? É, mas é o que temos”, salientou.

Na tribuna, o vereador ainda questionou a omissão dos vereadores de oposição ligados ao grupo político do ex-prefeito. “Somos todos simõesfilhenses e o sentimento é único e coletivo, e hoje, eu fico abismado nessa Casa. Cadê os vereadores de oposição para se defender? Da mesma forma que temos o microfone para defender, eles também têm. Cadê os vereadores de oposição que não querem ouvir a verdade? Volto a dizer aos vereadores de oposição: é baseado em quê que eles apoiam o ex-gestor? Quero falar para os pré-candidatos que o acompanham. É baseado em quê? A não ser financeiramente ou em promessas mentirosas”, declarou.

 

Facebook comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *