Pagina Inicial
Deputado Carlos Geilson diz que criminalidade na Bahia tem que ser analisada sem a estupidez da demagogia – Simões Filho Em Pauta

Deputado Carlos Geilson diz que criminalidade na Bahia tem que ser analisada sem a estupidez da demagogia



Nunca antes, na História da Bahia, se matou tantas crianças e adolescentes com armas de fogo como agora, neste período em que o Estado é governado pelo PT”, lamentou o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em pronunciamento na Assembleia Legislativa da Bahia, na tarde desta terça-feira (12/12).

Um estudo divulgado hoje pela Fundação Abrinq – organização criada pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos – mostra que 30 crianças e adolescentes são assassinadas por dia no Brasil, sendo a maioria, negros e pobres. E a Bahia responde por pouco mais de 10% dessas mortes. “Em nossa terra, 10 crianças e adolescentes são mortos a bala a cada três dias. A cada 8 horas, mata-se uma criança ou um jovem na Bahia. A bala”, protestou Geilson.

O estudo mostra ainda que o risco de um jovem negro morrer por homicídio no Brasil é quase três vezes maior que o de um adolescente branco. Na Bahia, é quase quatro vezes. “E que não se venha aqui dizer que isso é resultado do governo golpista, nem que a culpa é do presidente Michel Temer. Não! O estudo, denominado “A Criança e o Adolescente nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, usou dados do ano de 2015 para traçar as análises”, ressaltou Geilson.

O deputado lembrou ainda que este citado ano – o primeiro da gestão do governador Rui Costa e o quinto do governo da presidente Dilma Rousseff – ocorreram na Bahia 1.223 homicídios de crianças e jovens. “Temos que enfrentar esse problema, é preciso que nos deixemos conduzir pela análise racional e não pela estupidez da demagogia, pelo estreitamento ideológico ou pela disputa política cega, que não permitem ver o que está acontecendo com as nossas crianças, com o nosso povo. Não podemos nos tornar cúmplices dessa carnificina”, salientou Carlos Geilson.

Visualizações:
104
Outras Notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *