Pagina Inicial
Deputado Carlos Geilson denuncia roubo de gado em fazendas do Recôncavo Baiano – Simões Filho Em Pauta

Deputado Carlos Geilson denuncia roubo de gado em fazendas do Recôncavo Baiano



Os pecuaristas do Recôncavo Baiano estão sob alerta. Isso porque em menos de 90 dias mais de 200 cabeças de gado foram roubadas das fazendas da região. A denúncia foi feita pelo deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em pronunciamento na Assembleia Legislativa da Bahia, na tarde desta terça-feira (19/9).

O pecuarista Júnior Falcão, que alertou o parlamentar sobre os roubos, explicou que as ações ilícitas são diárias. “Já chegaram a roubar 34 animais de uma só vez. Eles usam transportes pequenos e, em alguns casos até mesmo carreta. Já roubaram oito animais de minha propriedade e, vários da minha família”, explicou.

São Francisco do Conde, Santo Amaro, São Sebastião do Passé, Amélia Rodrigues, Candeias e Cachoeira são algumas das cidades que estão sofrendo com a ação desses bandidos, bem como fazendas que ficam às margens da BR-324. “O Recôncavo virou terra sem lei, manda quem pode. E quem pode mandar é quem anda armado, quem ameaça, que invade, que expulsa os fazendeiros de suas terras”, frisou Geilson.

Falcão ainda lembrou que o problema é maior do que se pensa. Pois, além do ladrão que rouba o gado, existe receptador, que compra esse animal de forma ilegal e, mais barato, para enriquecer vendendo carne a preço baixo. Os delegados de Candeias, Santo Amaro e São Francisco do Conde já foram contactados, mas até agora os fazendeiros não obtiveram nenhuma resposta concreta.

É preciso averiguar esses crimes. Os fazendeiros são empregadores, na maioria das vezes, um dos únicos empregadores das zonas rurais. Então, quando eles perdem, todos perdem. A economia perde também. Atenção Secretaria de Segurança Pública da Bahia, vamos olhar com mais um pouco de atenção para o nosso querido Recôncavo”, ressaltou o deputado Carlos Geilson.

Visualizações:
40
Outras Notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *